NOTÍCIAS
Actualidades do IPP
2 Abril 2020 | Vista 8989 vezes |

CARTA ABERTA DO COMANDANTE PEDRO PIRES AOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE EM CABO VERDE


Amigas e Amigos,

Confesso que nunca pensei que pudesse conhecer uma situação dessas. Estava convencido de que as coisas piores por que passei eram um passado longínquo. Não se repetiriam. Vejo que foi uma esperança crédula e ingénua, porquanto, ao que tudo indica, não existe um percurso de vida perfeito e sem catástrofes, neste nosso mundo contraditório. As desgraças têm sido e continuarão a ser nossas companheiras de viagem. Temos é de aprender a conviver com elas e encontrar a melhor terapia.

Mesmo assim, não deixo de estar surpreendido e transtornado com o que tenho estado a testemunhar. Tenho acompanhado com muita atenção estes acontecimentos. Ora, fico magoado e desencorajado, ora sinto-me altamente compensado por atitudes de grande generosidade e de grande amor pelo próximo, vindas de profissionais da Saúde, e pela retribuição de gratidão manifestada pelos doentes. São factos que me têm tocado, emocionado e feito reflectir. O último desses casos passou-se num hospital de Madrid, quando uma doente curada se despedia com um largo sorriso de gratidão e os profissionais da saúde a saudavam com uma longa salva de palmas. Estavam proibidos de se aproximarem! Esta convergência e fusão de sentimentos humanos, numa união do dever, do amor e da gratidão, representam o que há de mais bonito nesta nossa vida. Esta prova de afeição recíproca tocou-me muito e deu para compensar as minhas angústias e aflições e fortalecer a minha confiança e esperança na vida e no futuro da humanidade. Também, no futuro da nossa terra!

Esta cena levou-me a pensar nos nossos profissionais de saúde. Por isso, decidi endereçar-lhes esta saudação de admiração, de simpatia, de carinho e de solidariedade.

Queridas Médicas, Queridos Médicos, Queridas Enfermeiras, Queridos Enfermeiros,

A vossa profissão é nobre e generosa. Disso devem estar muito orgulhosos, pois, fizeram uma boa escolha de missão, estão a proteger vidas e a contribuir para o bem-estar e para a felicidade. O vosso trabalho de todos os dias traz alívio a centenas de pessoas que sofrem de transtornos e de doenças de vária natureza. A vossa dedicação é imensa. Isso não se paga com retribuições materiais. Paga-se, sim, com gratidão, solidariedade, afecto e carinho! E com gestos simples de simpatia e reconhecimento!

A vossa profissão, de natureza naturalmente pacífica e humanitária, transforma-se por vezes em profissão de risco. É o que acontece neste momento de crise sanitária e humanitária mundial e, também, no nosso pequeno país, que hoje está humana e economicamente muito aberto ao mundo, ficando sujeito a consequências que nos ultrapassam. Estamos chamados a gerir cuidadosamente os mais diversos aspectos desta nossa nova condição, incluindo a sua dimensão sanitária.

Vocês, profissionais da Saúde, confrontam-se com uma situação nova e complexa que encerra elevados riscos. O mais grave é que se trata de uma primeira experiência. Estou convencido de que isso tem estado a perturbar-vos e a inquietar-vos. É um comportamento natural, dada a novidade e complexidade desta situação. Mas, confio que vão ganhando, a pouco e pouco, o traquejo e a confiança necessária.

Confio, sobretudo, que vão sair desta “prova de fogo” muito melhores, quer do ponto de vista humano, quer do ponto de vista profissional. Vão ganhar, com certeza, este desafio profissional, humano e espiritual! Não restam dúvidas! Vamos, todos, ganhar esta enorme luta sanitária, das maiores da nossa vida como Nação, sobre a COVID-19.

A humanidade ganhará, também! Espero que saia, desta prova penosa, mais rica em solidariedade e em reconhecimento do destino comum que une todos os humanos e mais convicta da necessidade de fortalecimento e difusão destes valores humanos superiores.

Queridas Médicas, Queridos Médicos, Queridas Enfermeiras Queridos Enfermeiros

Venho saudar o vosso trabalho profícuo e a vossa dedicação profissional e humana, saudar o vosso espírito de dever e de sacrifício! Por fim, manifestar-vos a minha admiração, o meu carinho e a minha ilimitada solidariedade!

Deste vosso “mais velho” e companheiro de jornada,

Pedro Pires

Menu Top